Que a indústria de alimentos está mudando sua cara não é mais novidade. Vimos nos últimos anos centenas de novas empresas já nascendo de forma saudável e muitas empresas grandes começando a se movimentar nessa direção. Mas o que podemos esperar para esse próximo ano?

 

Produtos naturais e produção sustentável

Um rótulo limpo e simples tem sido um dos principais fatores na decisão de compra, ou seja, um rótulo com informações mais claras, sem palavras complicadas e livre de ingredientes estranhos e artificiais, como conservantes, aromatizantes, amidos modificados e diversos outros aditivos. Ou seja, produtos naturais continuarão em alta.

E esse também será o ano onde o consumidor estará de olho em toda a cadeia produtiva das indústrias: qual a procedência dos ingredientes? Como são processados? É tudo ambientalmente amigável? Garante o bem estar animal?

A geração dos 20 aos 35 anos tem levantado essa preocupação (ser sustentável) para as indústrias ao buscar por mais informações a respeito dos produtos que consome. É uma geração preocupada com os efeitos de suas escolhas e que dá preferência a alimentos naturais e sustentáveis, como os orgânicos.

 

A força dos vegetais

Leites vegetais, alternativas a carne e produtos veganos têm ganhado o mercado em uma velocidade incrível. Não são somente as pessoas que defendem o bem estar animal que estão consumindo esses produtos, mas sim, também, as que acreditam nos benefícios de uma dieta com base em vegetais.

Esses benefícios estão diretamente relacionados ao fato de que, nesse tipo de dieta, se consome alimentos com poucas calorias que são ricos em fibras e contêm pouca gordura saturada e colesterol. Além disso, essa dieta permite obter doses mais elevadas de potássio, magnésio, vitamina C, E e B9 (ácido fólico), antioxidantes e fitoquímicos.

E, com cada vez mais informação e receitas vegetarianas/veganas disponíveis, esse número de pessoas só tende a aumentar.

 

Alimentos funcionais

Os consumidores não compram mais somente pelo sabor, eles querem mais. Querem alimentos funcionais que, além das funções nutricionais básicas, quando consumidos como parte da dieta usual, produzem efeitos que são benéficos à saúde. São alimentos ricos em vitaminas, proteínas, minerais dietéticos, culturas bacterianas, Ômega 3, antocianinas, carboidratos e fibras que possam contribuir para a manutenção da saúde e redução do risco de doenças.

 

Refeições conscientes e práticas

O consumidor não mais escolhe só o que ele quer comer, ele pensa em como pode gastar menos, reduzir o desperdício de comida, economizar tempo e, ainda, ser mais saudável. Apesar da vida corrida que levamos, a preocupação com a alimentação tem feito as pessoas planejarem suas refeições com mais cuidado.

Um movimento muito interessante que temos percebido dentro dessa tendência é o habito que o consumidor está adquirindo de fazer um pouco de comida enquanto se compra algumas coisas prontas para complementar. Um exemplo é fazer um arroz ou uma salada com uma carne e usar nossos antepastos de legumes para completar o prato.

O tempo necessário para se fazer uma boa refeição começa a ser tão importante quanto as informações nutricionais e a lista de ingredientes.

Danilo Campos

Co-fundador e responsável pelas áreas de produção e marketing na Legurmê.

Últimos posts por Danilo Campos (exibir todos)